12.4.13

Que horas são ?

Ainda há bocado uma louca aproximou-se de mim na rua e disse-me que gostava muito de fumar um cigarro, pensei que me estava a cravar, mas antes de lhe poder responder que não tinha, continuou sem interrupções a explicar que não pode fumar porque tem uma doença e que se fumar vai morrer, quer dizer não ía morrer com um cigarro, mas se fumasse muitos, ía acabar por morrer e isso seria triste, pensei que me ía pedir dinheiro, mas não tive tempo para a interromper, porque já estava a falar sobre dança clássica com a mesma voz calma que usava desde o início, que tinha aulas de dança clássica uma vez por semana, que era a única actividade que tinha e desenvolveu o monólogo durante uns cinco minutos acerca de técnicas e compositores preferidos, eu ia sorrindo e acrescentando um pois, sim, claro, boa ideia. Nisto perguntou-me as horas, disse-me que tinha que ir e desejou-me um bom fim de semana. E eu fui à minha vida e vim aqui contar-vos o que acabei de contar, sem que ninguém me tivesse pedido nada, com pormenores desnecessários e sem interrupções, tal qual como ela fez hoje, só que eu faço isto quase todos os dias. Mas o que me está verdadeiramente a trabalhar é eu ter utilizado tão facilmente e sem nenhum espírito crítico ou honesto a quinta palavra deste texto. Agora tenho que ir, que começa a ficar tarde para mim. Desejo-vos um bom fim de semana.

13 comentários:

  1. hahaha,gostei da observação final. A diferença entre nós, que desabafamos à frente dos desconhecidos da internet sobre a nossa vida, inquietações e disparates se calhar é pouca em relação a esses desconhecidos que às vezes nos interpelam na rua ou que falam sozinhos,para o ar, para quem os queira ouvir...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que não é nenhuma, temos é sorte que a sociedade ainda não teve tempo para nos rotular convenientemente, ou já, e ainda ninguém nos avisou - é que fazendo bem as contas somos muitos. ;)
      Bom fim de semana, ouvi dizer que a Primavera chega hoje para esses lados. Por aqui, mais uma semana disto e relanço as festividades natalicias, não quero saber !

      Eliminar
    2. bom, uma diferença há-de ser que nós desabafamos no quentinho do sítio onde está o nosso ponto de ligação à net, e esses desconhecidos na rua provavelmente a maior parte não têm sítios quentes para onde ir.

      (eu trabalho no parque das nações e aqui há um que aparece só quando faz bom tempo que eu chamo "o maluquinho do jogging" - anda de maillot como aqueles dos halterofilistas, mas de fio dental e anda sempre a correr e tem barbas como marx); depois quando vou de manhã no autocarro passo pela zona dos contentores e armazéns (matinha, xabregas) e vejo muitas vezes uma mulher que pousa um sacalhão ao lado dela, agacha-se, puxa a saia para cima e as cuecas para baixo e fica ali, junto aos carris de um caminho de ferro inutilizado, a fazer as suas necessidades. nas manhãs em que a vejo, chego sempre ao meu destino com os olhos molhados.

      Eliminar
    3. Esta desconhecida não pareceria estar em dificuldades económicas, simplesmente não cumpria todas as regras da sociedade, tenho mesmo vergonha de a ter chamado louca. O que me deixa triste nessas histórias que me contas, e que eu também vivo, é o que está por trás da loucura, o que os levou a esta situação, a vida a que são por vezes obrigados a levar e não escolheram (solidão, problemas financeiros, etc), porque a loucura em si, se virmos bem quem é que nos diz que o senhor do jogging não pode ser mais feliz que nós ?

      Eliminar
  2. Não consigo ignorar a ligação entre este post e o teu anterior. E portanto vou mas é voltar ao trabalho :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que se calhar não é mesmo de ignorar, tenho é dúvidas de que lado do trabalho pára a loucura e a alienação ...

      Eliminar
    2. Nãããão... Por favor diz-me que há algum sentido e pôr o despertador todos os dias para as 7h30. Não, não, não quero vestir essa camisa branca com mangas muito compridas!

      Eliminar
    3. Mas olha que o branco te deve ficar a matar, não negues à partida um outfit que não experimentaste.

      Eliminar
  3. Curiosamente tenho-me debatido com a mesma questão: mas alguém me perguntou alguma coisa?
    Enfim, pelo menos nós, os loucos que escrevem para desconhecidos, podemos sempre alegar uma certa vocação diarística.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se esse tipo de alegação passa num consultório psiquiátrico...

      Eliminar
  4. Tu és um lobo antunes. Uma loba antunes. Uma Carla Antunes. És boa que te fartas. E eu adoro este blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz-me o que é que queres. Eu dou-te tudo. ;)

      Eliminar
    2. só que escrevas, muito muito muito.

      Eliminar

Pessoas

Nomadas e sedentarios