6.2.13

Isto lido de uma certa forma até podia ser um poema

Volta, não volta, e não estou na net. Só me chateio.
Existe ali na minha vida física, um argumento que teima em atrapalhar-me a vida. Vida. Três vezes é melhor. E atrapalha de uma maneira que não é possível imaginar. Não num mundo construtivo.
Não percebo qual é o problema da fuga.
O que interessa não é o movimento ?
E depois fica-se em passo de espera. Compasso torto que traça elipses, quando o que se quer são círculos, bolas !
Nem tudo tem que fazer sentido, um plano traçado, responsabilidades, conta, peso e medida. Vai tu.
Já alguém ouviu alguém, que acorda todos os dias à mesma hora, para se dirigir ao mesmo sítio, fazer o de costume, dizer que é feliz ? A felicidade é um conceito lixado, tudo bem, mas não é por aí. Não é por aí. E, no entanto, é por aí que vamos. Não está escrito em lado nenhum que tem que ser assim. E que esteja, quero ver quem é que nos vai obrigar a ler. Estamos ou não estamos num mundo livre ?
E quando não se sabe o que fazer, quando se parou para pensar no sentido da vida e se lixou, porque sentido é coisa que a vida não tem, que mal tem fugir-se ? Se se fugir para a frente, que mal é que isso tem ?
Ou para trás, ou para os lados. Para a direita, não. De resto, tanto faz.
Não faz sentido. Mas também não tem que fazer.
Quando ele chegar a casa vai ver. A conversa toda do princípio, mas desta vez de trás para a frente.
Todas as canções de amor dizem a mesma coisa : Fujamos daqui para fora, daqui para dentro, mas fujamos !
Se não é de amor que se trata, então não me interessa.
Mas eu agora vou passar o resto da minha vida a escrever blogues e a levar os meninos à escola ?
Nunca mais recuso aqueles comprimidos. Agora vou perder audiência, que até me lixo.
Lixo. Ao menos que fosse reciclável.
Isto até podia ter-se chamado "Saída de emergência", mas o que interessa dar-se nomes às coisas, se ainda nem se sabe o que é.

Trinta e oito anos de fuga para a frente. Em algumas profissões, seria considerada especialista, teria credibilidade, todos fariam o que eu decretaria, poderia mesmo assinar uma crónica num jornal regional, pagaria impostos. Seria alguém.

36 comentários:

  1. às vezes também me apetece (muito) fugir... daqui, deste Amor, das rotinas, da criança, do facebook e blogues, das pessoas. Mas depois penso estou a fugir do quê ou de quem....ah,é de mim ! É lixado é. São ciclos são.
    Até já *

    ResponderEliminar
  2. Não te esqueças desse raciocínio - por vezes, também se dá que quero fugir de tudo e de mim e podemos explorar isso, mais tarde. Há já algum tempo que não me sinto assim.
    Mas não é disso que se trata hoje, pelo contrário : acho que ficando na vida em que estou a viver, aí sim estou a fugir de mim. Eu quero ir e fugir de tudo o que não me interessa. Isso sim. Quero fugir e levar o meu amor e os miúdos, quero-me levar a mim. E quem sabe até, acabar por me encontrar. Um bocadinho mais, que fosse e já me dava por satisfeita.
    A minha vida não é isto. A minha vida sinto-a estar algures na fuga.
    Depois logo arranjo conceitos e posso inventar, à pressão, rituais iniciáticos, como nos filmes americanos da minha adolescência. Se isso me acalmar ou conformar.
    Mas o essencial de que quero fugir é desta rotina que me separa de mim, do meu amor e, porque não, dos meus filhos. Quero fugir daqui para fora, para entrar aqui dentro.
    Posso tentar tirar uma foto elucidativa, que não sou boa com desenhos.

    ResponderEliminar
  3. Eu comecei a ler o Servidão Humana, a ver se tiro conclusões. Depois partilho-as contigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não estivesse eu neste momento de volta de três livros e começava também a ler o Servidão Humana, para depois falarmos do assunto. Mas sempre me pareceu muito contra o que eu quero seguir, nunca li, mas não nos vai dizer que uma vida assim assim nem é assim tão mau como isso ? Eu que quero fazer e acontecer e arriscar e partir e fugir...
      Ficarei a aguardar, quem sabe não havera uma saida airosa deste post ?

      Eliminar
    2. conta, quais sao esses três livros? :)

      Eliminar
    3. "Uma Viagem à India" de Gonçalo M. Tavares (ando a fazer de proposito para não acabar, até ja andei para tras e tudo, e ando a sublinhar e a colocar post its e vale mesmo tudo), "Limonov" de Emmanuel Carrère, porque sim e "Heureux les heureux" porque é da Yasmina Reza e à Yasmina Rez eu não resisto.

      Eliminar
    4. também quero ler esse da yasmina reza. so li um livro dela "nulle part" mas gostei tanto. "limonov" nao tenho curiosidade, talvez pelas conversas com os leitores na biblioteca.
      e fiquei curiosa com o gonaçlo m. tavares :)

      Eliminar
    5. Admiro muita algumas posições do Limonov, mas ja ouvi falar de algumas acções dele muito polémicas, tenho muita curiosidade em conhecer mais detalhes sobre a sua vida, até porque estou tentada a admira-lo e quero ver primeiro onde é que me estou a meter.
      Quanto ao Viagem à India, não é um livro como os outros, é daqueles livros que vão ficar ali na mesinha de cabeceira para ler uma ou outra passagem de vez em quando.
      Yasmina Reza é muito boa, muito facil de ler, muito original. Adoro !

      Eliminar
    6. lembrei-me agora:
      ainda espero pelo teu top 10 de leituras em 2012 :P

      Eliminar
    7. Ja estou à frente a preparar o top 10 de leituras em 2013 - envio-te em Maio.

      Eliminar
    8. isso nao vale :P

      entao em maio entregas-me em maos ;)

      Eliminar
    9. Vale tudo, vale sempre tudo ! Que não somos almas pequenas.

      Responde-me à mensagem via facebook - quero saber tudo !

      Eliminar
  4. Desorganiza-te, Carla! A vida anda simplificada, organizada, planeada demais para pessoas como tu (e eu). Põe a mochila às costas e vai! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas não quero ir sozinha !! Tenho que desorganizar toda a gente à minha volta. Demora mais tempo, convencer e tal, mas estou convencida que mais dia, menos dias vou ter resultados. (E tu ? Inspira-me!!)

      Eliminar
    2. Pois, eu sei :) temos todo um barco para puxar. Mas se a vontade for muita algo acaba por acontecer. Mesmo! Bom fim-de-semana*

      Eliminar
    3. http://action-pack.com/category/road-trip/

      conheces? esta família decidiu ir este ano numa road trip. por enquanto fico-me só a sonhar alto, a minha gente não aguenta muito tempo fora de casa, mas a semente há-de germinar :)

      Eliminar
    4. Ai caraças, mas estou a ser assim tão explicita ou és tu que lês pensamentos ?

      Eliminar
  5. incrível o jeito que tens de escrever o que sentes sem entrar em pormenores da tua vida. escreves tudo o que interessa, mas não o que não interessa a ninguém. sinto vontade de fugir de tudo muitas vezes. de fugir para me encontrar. nunca tenho coragem. mas talvez me tenha conseguido encontrar. nao sei. Se podemos ser felizes a fazer aquilo que nunca nos iria fazer felizes? acho que sim... ou talvez seja apenas conforto, sei lá, eu sou a pior pessoa do mundo para dar conselhos destes....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por esse "incrível".
      Não vou entrar em facilitismo que nos dizem que a vida começa quando saimos da nossa zona de conforto, ja fui feliz e muito viva no meio do conforto. Se calhar, até podia ser agora, mas como surgiu uma pista de desconforto ando aqui em pulgas a ver se a agarro e se consigo levar a minha vida por um caminho novo. E arrastar a minha familia, que isto de caminhos solitarios, ja o fazemos todos os dias, e de vez em quando é bom fazer projectos em comum. Não preciso muito de conselhos, preciso de empurrões e de uma boa pista de lançamento e estes desabafos e estes comentarios também servem para isso. Obrigada !

      Eliminar
  6. mas sei que pagar impostos não faz de nós ninguém. apenas escravos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que isso ja não sei. Numa sociedade justa e ideal todos contribuimos, na medida do nosso rendimento, para o bem comum.
      Agora a actual realidade é outra coisa e pode lembrar a escravatura, verdade. Mas não se vive apenas de realidades. ;)

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Olha e iamos para cima de uma montanha, abriamos os braços e gritavamos. Muito alto !
      E depois fugiamos, que afinal é o que pretendemos.

      Ando aqui a organizar a nossa organização, pensando que não, mesmo os actos mais espontâneos têm que ser estudado. Quero la saber, se o fim é a desorganização personalizada, então o fim justifica os meios !

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Fui eu que escondi o Cif, não leves a mal, havemos de encontrar uma solução. Ouvi falar de cenas ecologicas e assim. Ou comemos com os dedos, quem nos vai impedir ?

      Eliminar
  9. percebo a ideia da falta de liberdade.
    mas fugir nao posso e talvez nao adiante.
    a rotina tambem esta em nos por isso o melhor que tenho conseguido e encontrar coisas boss que encaixem nesta "rotina" que as vezes no mata o cerebro. e acho que esta a resultar. provsvelmente devo estar a acabar a fase do denial :) a ver vamosse e assim ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A rotina está dentro de nós, sem dúvida. Mas, às vezes, uma boa fuga ajuda a despistar os hábitos instalados.
      Não é a única maneira, felizmente, que andar sempre a fugir também cansa. Mas por ora, é o caminho que me apetece.

      Assim, por exemplo :
      https://www.youtube.com/watch?v=g5qwEzk0FK4

      Eliminar
  10. Olha... ouvi isto no carro no outro dia e lembrei-me logo de ti!
    https://www.youtube.com/watch?v=Tm88QAI8I5A

    ResponderEliminar
  11. querida alma gemea emigrante,

    nem sabes os efeitos que a palavra felicidade teve aqui, esta semana. foi magica. e vou mesmo fugir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quero saber todos os detalhes. Todas as fugas que implicam felicidade interessam-me.

      Espera, agora vou colocar aqui cinco pontos de exclamação :
      !!!!!

      Eliminar
    2. :)
      por enquanto esta fuga é em busca da felicidade, o que por si so é motivo de felicidade
      chuak!

      Eliminar

Pessoas

Nomadas e sedentarios