22.11.12

Pause café.


A iminência de fazer 38 anos, deixa-me aquém do desejado. Bastante satisfaz pouco, espero pelos quarenta e pela vida que vem depois e estou disposta a pagar as rugas e os cabelos brancos que forem preciso, este meio termo é que não. Esta crise de meia idade dos orangotangos já se dispensava.
Esta sensação de se estar a perder, à procura de viver tudo, mais e melhor, mesmo quando se está deitada. Correr deitada... Daí ter insónias, que depois me obrigam a ter dias a meio gás, mesmo se continuo a correr, é uma estupidez, mas não consigo fazer nada por isso. Tenho medo dos produtos farmacêuticos. A coisa há-de se compor. Sabes, é tudo uma questão de tempo.
Entretanto, para controlar estas palpitações e suores frios, que nunca mais têm um fim com a menopausa, decidi dar-me tréguas de vez em quando. Não se é de ferro e não se pode querer salvar o mundo ou o fim de tarde dos filhos, se nos encontramos em perdição, nós mesmos. A salvação pode muito bem estar aqui.
De modos que, vou-me forçar à atitude gracias à la vida como higiene de vida, ao menos uma meia hora por dia. E vou beber um litro de água, e evitar as gomas que dão aos meus filhos nas festas de anos e que escondo lá em cima do armário, num sítio que só eu cá sei. Não existe ligação evidente entre estas resoluções, mas é uma promoção, não podia resistir.
Vai ser difícil, especialmente sem anfetaminas, mas vou tentar mesmo assim. Tão bonitas que estão as árvores, nesta luz, com as folhas douradas. E à noite, as iluminações de natal nas galeries Lafayette e no Printemps ?
Oh, deixem-se de coisas, é uma decisão como outra qualquer. Quem sabe, este devaneio não é uma forma de lucidez disfarçada de texto de revista de lifestyle feminina ?
Da blogosfera, hoje espero pancadinhas nas costas, encorajamentos e alguma compreensão, assim, uma espécie de cheerleader lusitana em tempo de crise.
...
Este café passa uma musiquinha, mesmo boa. Um lugar, como outro qualquer para se começar a mudar.

23 comentários:

  1. :) Uma palmadinha nas costas, então. E um sorriso :)

    ResponderEliminar
  2. e uma beaujolais(ada) para uma noite mais ligeira?
    bebo um copo contigo!
    santé :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sim ! Um bom beaujolais aligeira sempre as noites da melhor maneira.
      E à tua e à nossa !
      Santé !

      Eliminar
  3. Escreves muito bem. E deixas-me sempre a sorrir, como agora. Estou também quase nos 38 e bem preciso de umas pausas para café. Ou então de não ter tempo para pensar sequer. Bjs e continua a inspirar quem anda por este Portugal meio deprimido :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Umas pausas para café são um bom remédio, não nos podemos levar pela depressão colectiva, não resolve nada, não ajuda a ver soluções e deita-nos abaixo. Inspiração ! Uma boa dose de inspiração para se viver melhor a vida é essencial, se também poder vir daqui, então fico muito satisfeita e dou gracias à la vida ! ;)

      Eliminar
  4. Gostei muito do teu texto, mesmo piegas....

    Eu vivo na dialética: tenho sempre dúvidas quando embarco numa de "gracias a la vida" porque quando tive uma depressão séria já estava mesmo no fundo quando descobri, tão ocupada que andava na fuga em frente da ação de graças, mas por outro lado também não quero deixar de me alegrar decentemente com as pequenas coisas e de procurá-las ativamente. Até tenho uma listinha de coisas que me fazem sempre feliz, para quando não sei o caminho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dialética ? Eu tenho uma multiplética ! Os tais 30 minutos dão perfeitamente para o objectivo em questão. "Gracias à la vida" em doses homeopaticas, para não andarmos sempre a olhar para o cinzento e conseguirmos dar valor a grandes ou pequenas coisas boas, que estão aqui mesmo à mão de semear, e seria uma parvoice deixa-las passar assim de borla. Mas também não vamos agora passarmos para o outro lado da força e de repente querermos ser felizes todos os dias, a todos os minutos. Eu gosto de me preocupar, de ficar triste, emocionada, faz tudo parte. A questão é o equilibrio, mas oh... tu sabes disso.
      Listinha salva-vidas ? E resulta ? O factor surpresa não é fundamental ?
      ... um bolo chiffon de chocolate, ligar à mãe e a um amigo especial, uma musica ... estou a ver, estou a ver. Se calhar também vou preparar a minha lista SOS. Nunca se sabe, nunca se sabe...

      Eliminar
    2. Eu há umas de que me esqueço, que deixo de fazer sem me aperceber. Por exemplo, passo às vezes uma semana inteira sem por música a ecoar pela casa, adoro, fico logo outra, mas esqueço-me...ou aprender coisas novas, ou fazer pão ou ir comprar flores e fazer arranjos falhados pelas jarras lá do sítio...

      Eliminar
    3. Pois é, esta coisa de se dizer que o homem é um animal de habitos tem muito que se lhe diga, tenho perdido muitos habitos bons pelo caminho e apenas seis meses depois, é que dou por mim e vejo o que deixei de fazer. O tempo passa muito depressa. Depressa demais para não fazermos o que gostamos, ou para não prestar atenção ao que consideramos importante, ou apenas belo.
      Definitivamente vou fazer uma lista de habitos bons, não apenas de urgência, mas para o dia a dia.

      Eliminar
  5. Ok, faz o que tens a fazer, mas não mudes muito, a gente (eu, pronto) gosta de ti assim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E sera possivel mudar a maneira de ver o mundo, ou de o apreciar, sem se mudar ?
      Pronto, tudo bem, não vou mudar, vou antes evoluir. Parece-me um bom compromisso.

      Eliminar
  6. Na falta de conselhos envoltos em sabedoria, que é coisas que não me assiste... aqui fica uma palmadinha nas costas de alguém que gosta muito de te ler.

    Inspira, expira e bola para a frente (e se forem precisas anfetaminas, sejam!).
    :*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigadinha. (Anfetaminas das minhas : musica, cinema, bolo de chocolate, abraços, palmadinhas virtuais com a tua, etc)

      Eliminar
  7. Gosto tanto desse tecto. Vou imprimir a foto e colá-la no meu tecto. E ficar a olhar para ela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa-te de coisas e vem mazé tomar um café comigo, levo-te aqui e vês tudo ao vivo, a virtualidade tem os seus limites. E psicologia de bolso... grrr !!

      Eliminar
    2. Ei! A psicologia de bolso era minha. Tu encontras MESMO as coisas maravilhosas debaixo de cada pedra. E isso é um bocado injusto, coloca a fasquia muito alta para todos nós que ainda passamos a vida a dar pontapés nas pedras com o dedo mindinho.

      Eliminar
    3. Dedo mindinho ? Também deixaste de usar sapatos ? Gralha, amiga, este habito é mais aconselhavel no Verão, tem cuidado, tem cuidado contigo.

      Eliminar

Pessoas

Nomadas e sedentarios