8.4.10

Política no parque

Somos habitués de uns 4 parques, vivemos num bairro burguês, chato de morrer, com meninas de tranças, meninos que pedem desculpa quando passam mal a bola e famílias que enchem a igreja no domingo. Sim, eu não estou aqui a fazer nada, houve um erro de casting, mas este post não é sobre mim, nem sobre a nossa escolha de habitat, é mesmo sobre política.
Uma coisa tem que ser dita, há uma verdade que tem que ser assumida, assim, de rompante... os riquinhos e betinhos das redondezas, são, na sua grande maioria gentis e bem-educados.
Uma das regras que a minha educação pseudo-comunista aprova, neste nosso actual meio burguês, é que num parque os brinquedos são para ser partilhados. E, mais demagogia menos manipulação, é o que acontece, levamos dois baldes e pás e ancinhos e aquela instrntação toda e emprestamos e pedimos emprestado e tudo vai correndo, há sempre uma birrinha a controlar aqui ou ali, talvez porque o ser humano naturalmente quer tudo para ele, mas os minúsculos, em geral, vão aprendendo a partilhar.
Por isso tudo descamba quando aparece uma mãe, avó ou whatever, que considera a propriedade privada como o mais alto valor acima da terra e vai de se zangar com o filho por este brincar com os brinquedos dos outros, e ainda vai buscar a sua bola privada que alguém agarrou para brincar, enquanto fica o seu respectivo sucessor minúsculo aos berros do alto do escorrega à espera de ver o seu objecto recuperado e sem uso.
E não, não me facilita nada a vida esta história... e quase que me apetece fazer parques à parte, vermelhos de um lado e os de direita do outro, não fosse isso me lembrar coisas mesmo muito más da história da humanidade.
Vá, vamos lá, todos juntos, a aprender uns a partilhar e outros a guardar e lembrar aos nossos minúsculos como eles podem ser felizes a fazer os outros felizes. Manias ...

9 comentários:

  1. Mai nada... concordo contigo e tb detesto gentinha dessa!

    jocas

    ResponderEliminar
  2. Ah non... ici tu pretes rien, tu donnes rien, chacun son truc :)

    A Elite

    ResponderEliminar
  3. Ah por ai mta mãe que devia ser educada antes de educar um filho! Depois são egocêntricos, egoistas e por ai fora... e surge a pergunta (feita por essas alminhas que respondem por mãe) "a quem sai assim?" Ah pois é! Espelhos em casa dava jeito.
    Por aqui partilha-se e tem-se a sorte de não haver birras(... por agora) quando se quer algo.
    Ah e a miuda não tem irmãos por isso estamos em vantagem heheh
    Beijokas

    ResponderEliminar
  4. Ui, ui, eve ser das guerras mais difíceis de ganahr. Andamos nós a tentar explicar às criancinhas o valor da partilha, para logo um qq adulto deitar o castelo por terra.

    ResponderEliminar
  5. Apoiada, camarada. Essa gente é horrorosa. Cá costumamos ir à Gandarinha em Cascais, que também reúne uma grande concentração de bem-nascidos por m2, que vão brincar para a lama de calções brancos e meias pelos joelhos.

    ResponderEliminar
  6. Pois, normalmente quando falamos sobre este assunto toda a gente fica do nosso lado, mas que encontro muita gente a fazer o contrario, encontro. Sera que eu mesma sou sempre tão correctazinha como penso ser ?

    Merci Elite, pelo teu espirito de contradição ;) E eu que andava a pensar pedir-te emprestado as tuas lunettes de soleil ...

    ResponderEliminar
  7. Era pura ironia, e vais ver pq: os oculos que uso nas fotos foi uma troca. Fiquei com os de uma amiga e ela ficou com os meus :) on se prête et échange les trucs, nous les Angolais :)

    A Elite

    ResponderEliminar

Pessoas

Nomadas e sedentarios