15.9.17

copo meio cheio

Para olhar para o nosso quarto e ver as árvores lá fora, as janelas altas e o macramé na parede,
em vez do radiador por comprar, dos rodapés por colocar e do tecto por pintar
tive que mudar de vida. Aceitar o que não se resolve.
Não houve outro remédio. Não quis outro remédio.
Mas custou.
Agora a transmissão pode continuar.

Houve quem chamasse a isto coragem.
Como se houvesse outra escolha.
Haveriam múltiplas não-escolhas, na verdade.
Que tipo de pessoas somos quando vamos vivendo uma quase vida?

Um mergulho nas certezas que ainda vamos tendo.
Outro no copo meio cheio.

Hoje suicidou-se a sonda Cassini.
Esteve desde 2004 a estudar Saturno, os seus satélites e anéis.
E, surpresa, vejo que "não estou queixosa" com o que fiz nestes 13 anos.
(tinha escrito "feliz", mas não entremos em histerias vãs).

Ouvi hoje na rádio : "Como se fazem amigos ?
Aproximamo-nos das pessoas e começamos a dizer banalidades."


3 comentários:

Pessoas

Nomadas e sedentarios